Live ABMI mostra força da Era Digital

live 03.jpg
Quando os dias cruéis da pandemia do novo coronavírus passarem, um dos legados positivos será a confirmação de que a utilização de marketing, ferramentas e processos digitais é um caminho sem volta também para o mercado imobiliário.
Aliada à imprescindível criatividade e à constante busca de reinvenção, a tecnologia digital tem sido o respiradouro econômico de grande parte das empresas imobiliárias associadas à ABMI nesse período de isolamento social imposto pelo Covid-19.
Esse panorama ficou bem claro na live “home-office, gestão da equipe em tempos de coronavírus”, realizada pela ABMI, por meio dos aplicativos Zoom e YouTube, na noite de 9/3, tendo como mediadora Raquel Trevisan (Imobiliária Taperinha, Santa Maria-RS), e como debatedores Angelo Frias (Frias Netto Consultoria de Imóveis, de Piracicaba-SP), Ricardo Costa (Ivan Negócios Imobiliários, de Uberlândia-MG) e Teo Granado (Pedro Granado Imóveis, de Maringá-PR), e a participação de Marcio Schneider e Pablo Fabián, respectivamente presidente e diretor-executivo da entidade.
 
Caminho sem volta
“Toda crise não traz só coisas ruins. Ao contrário, traz muito aprendizado, e às vezes nos força a tomar decisões e a mudar de comportamento. Um dos pontos positivos, a meu ver – e isso é um caminho sem volta – é o estímulo ao uso de ferramentas digitais. Muitas pessoas que até quinze dias atrás nunca tinham ouvido falar do Zoom, hoje participam de reuniões por meio desse aplicativo”, destacou Ricardo Costa, lembrando que na sua empresa todos os corretores de imóveis estão trabalhando com vendas em home-office.
“É obvio que para pegar as chaves tem de se ir à imobiliária, mas as reuniões da equipe estão sendo feitas via plataformas hoje disponíveis, com excelente aceitação”, complementa Ricardo, para quem a situação atual tem ajudado a quebrar a resistência até dos próprios clientes, em especial os proprietários na área de locação, que, na falta de um atendimento presencial, acabam tendo de recorrer a chat, telefone, Whatsapp e outros meios digitais.
No que se refere ao home-office, Ricardo relata ter tido boas experiências nesse aspecto, inclusive com aumento de produtividade, o que levará a sua empresa a estudar quais trabalhos poderão vir a ser realizados em casa, depois que a vida voltar ao normal.
 
Trocas virtuais de experiência
Para Angelo Frias, as reuniões virtuais têm sido realizadas com muita empolgação. “Nelas os corretores contam suas experiências uns para os outros, e isso em si já é uma motivação. ‘Fui lá, filmei tudo para o cliente, mostrei o terreno, a portaria, acredito que ele vai comprar’. Essa troca de comentários tem sido uma constante entre nossos corretores”, contou Angelo.
O mais surpreendente, segundo Angelo, que é diretor de Desempenho Empresarial na atual diretoria da ABMI, é o fato de muitos corretores de imóveis mais tradicionais estarem aderindo ao mundo virtual.
“Eram aqueles profissionais que só acreditavam no atendimento ao cliente olho no olho. Mas agora, eles nos têm contado que estão apreendendo a tratar com o cliente de outras maneiras”.
 
Registrar e mostrar o trabalho
Teo Granado diz que na sua empresa a ordem vem sendo revitalizar as carteiras de imóveis. “A orientação é pegar toda listagem de imóveis opcionados e religar para todo mundo, negociar novos preços, ver como fica a expectativa daqui para frente, estamos revitalizando a carteira, revitalizando os nossos imóveis. As empresas não estão fazendo isso. Estão com medo do que vai acontecer com elas e estão esquecendo o cliente. Precisamos mostrar serviço. Mostrar que estamos trabalhando. É preciso conversar, reavaliar preços, buscar novas oportunidades. Vamos reativar leads que haviam sido abandonados. Vamos reativar o cliente”, conclamou.
Outro ponto importante, no entender de Teo, é registrar tudo o que está sendo feito diariamente. “Fotografe. Fez visita, tire foto. Pegou uma proposta, tire foto. Publique, mostre para a equipe e motive os parceiros a fazerem o mesmo. É preciso mostrar que a imobiliária não está parada, que pode resolver o problema do cliente e vender imóveis. As pessoas não deixaram de querer vender imóvel por causa do Covid-19”.
 
Hora de se reinventar
Raquel Trevisan destacou que, por experiência própria, entende que o momento exige uma atenção redobrada por parte de gestores e líderes de cada equipe. “Nunca essas funções foram tão importantes como agora. Porque no dia a dia de nossas equipes, sejam os funcionários celetistas ou autônomos, todos estão com medo. É um movimento diferente do que estarmos numa crise financeira. Estamos falando de saúde, de temor em relação à própria vida.”
Raquel contou que, com referência aos corretores da empresa, “todos foram estimulados a buscar o cliente lá de trás. A listar, mesmo que fosse numa folha de papel, quem é quente, frio ou médio. Não está entrando lead novo é hora de pegar aqueles antigos”.
Tudo isso está sendo feito, de acordo com Raquel, procurando-se ao mesmo tempo explicar como os profissionais podem utilizar da melhor forma as ferramentas e plataformas digitais para incrementar os resultados de suas ações.
“Tirem fotos no home-office, publiquem e marquem a imobiliária, do cantinho onde estão trabalhando, da chave que estão entregando, do contrato que estão assinando, do feedback de um cliente. É hora de se reinventar. Costumamos dizer para nossa equipe: é um vírus, isso vai passar. Vírus têm data de um início, meio e fim. Sim, vai ter grande repercussão, inclusive, financeira. Mas temos de ter um olhar do futuro. Agora é hora de fazer o marketing digital. Quem não fazia, esse é o momento, porque as pessoas estão trancadas em casa e a porta de comunicação é o digital. Então quem não investia nisso agora é hora de investir”, aconselhou.
Para Raquel, a grande reinvenção do momento consiste em falar com as pessoas dentro de suas próprias casas, porque elas continuam sonhando. “Vamos mostrar que continuamos trabalhando, estudando, buscando soluções. É importante darmos a cara, mostrar gestores, líderes, gerentes, o diretor da empresa, está todo mundo trabalhando. A gente tem de fazer agora, para quando abrir a porta, estarmos decolando junto”.
 
Resgatando relações
A abordagens de Raquel e dos debatedores, no entender de Marcio Schneider, presidente da ABMI, foram perfeitas. “As necessidades em relação ao imóvel não desapareceram. Elas simplesmente estão sendo adiadas. Mas continuam vivas. Entendo, por tudo o que foi dito aqui nesta live, que o momento é excelente para se relacionar com os clientes. Para gerar, talvez, uma proximidade que a gente podia ter perdido ou estava quase perdendo”.
“Isso ainda”, complementou Marcio, “deve ser levado em conta no relacionamento da empresa com seu corpo funcional. Também é o momento de se resgatar muitas relações de trabalho, de ambiente de trabalho, que por vezes estavam sendo perdidas, porque o dia a dia engole a gente. É hora de valorizar pequenas coisas, pequenos atos, pequenas atitudes, que às vezes no dia a dia passavam despercebidas”.
 
Saiba mais sobre as lives da ABMI e fique atento aos próximos fóruns virtuais.